segunda-feira, 27 de fevereiro de 2012

Independência Coronária


Gritei pra não se apaixonar. 
Implorei pra não se iludir... 
Fiz de tudo para que não fugisse do controle. 
Recitei poemas, cantei músicas, até convidei para dançar.......e esquecer. 
Não adiantou. 
Meu coração surdo tem vida própria.

2 comentários:

FLORCUBA disse...

ay!! de nós de coraçoes autónomos...
pobres dos que acham que o cerebro está na cabeça....

Leila Silveira disse...

vida própria e insanidade...